Jornalismo verdade é aqui

Paulo Skaf fala em “missão cumprida” na Fiesp e confirma interesse nos Correios

Paulo Skaf fala sobre interesse nos correios

Empresário disse que “acompanha de perto as oportunidades que podem surgir com as futuras privatizações”

Presidente da Fiesp (Federação de Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf confirmou nesta terça-feira (2) que pretende deixar o comando da instituição neste ano e disse que “está acompanhando de perto as oportunidades que podem surgir com as futuras privatizações no país”. A afirmação veio quando o empresário foi questionado, em entrevista à Rádio Bandeirantes, sobre a notícia divulgada por Lauro Jardim no jornal “O Globo” sobre um possível interesse nos Correios.

Leia mais
Dimas Covas: “SP deveria ir imediatamente para fase vermelha”

“Março e abril tendem a ser terríveis”, alerta presidente do Conass

“Meu mandato vai até o dia 31 de dezembro deste ano. Ali terei completado 17 anos como presidente da Fiesp, isso está acima de tudo o que aconteceu na nossa história, a minha missão aqui está cumprida. Meus colegas gostariam que eu ficasse por mais um mandato de 4 anos, agradeci muito, mas já temos uma chapa única com meu sucessor. Só tenho a agradecer. Estou realizado”, disse Paulo Skaf.

“E sou um empresário. O presidente da Fiesp é um empresário. Não tenha dúvida de que, nessa importante nova fase de privatizações que o Brasil vai passar, existirão oportunidades e eu estou ligado nelas, sim. Tenho um relacionamento no mundo empresarial do Brasil e do exterior bastante grande e, dentro desse relacionamento, estou acompanhando muito de perto essas oportunidades que podem surgir com as futuras privatizações”, completou.

Inscreva-se no Canal do Datena no YouTube

Questionado também sobre a possibilidade de se candidatar mais uma vez ao governo de São Paulo nas eleições de 2022, Skaf respondeu que “não é hora de pensar no assunto”.

“Sinceramente, falta muito tempo para as eleições. Hoje minha resposta é ‘nem pensar nisso’. O único pensamento hoje é pandemia e vacinação. Acordo e penso nisso até ir dormir”, concluiu.