Jornalismo verdade é aqui

Fábio Faria: Bolsonaro conversará com chefes de outros Poderes “no médio prazo”

Jair Bolsonaro e Fabio Faria

Presidente foi convidado para audiência com governadores e chefes dos outros Poderes, mas ainda não se pronunciou

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse nesta quarta-feira (25) em entrevista à Rádio Bandeirantes que o presidente Jair Bolsonaro deve se reunir com Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Pacheco, presidente do Senado Federal, Augusto Aras, procurador-geral da República, e Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), “no médio prazo”.

Leia também
Comitê “não tinha consonância” com Doria, diz ex-membro

Jungmann: “Bolsonaro prepara cenário de conflito para 2022”

No início desta semana, representantes de 24 estados e do Distrito Federal solicitaram uma audiência com Bolsonaro para tentar diminuir a tensão entre os Poderes, inflada com ações como a prisão do ex-deputado bolsonarista Roberto Jefferson e o pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes. Lira, Pacheco e Fux também foram convidados.

“Há hoje uma cobrança injusta apenas ao presidente. Em um momento sem harmonia entre os Poderes, o dólar aumenta, a inflação aumenta, o investidor estrangeiro não coloca dinheiro aqui, o investidor local manda dólar para fora, influencia tudo. O presidente sabe”, disse Fábio Faria.

“Agora, no momento certo, acredito que Lira, Pacheco, Aras e Fux sentarão na mesa com o presidente. Eles têm que conversar e, depois, cada um falar com os outros integrantes de suas Casas e voltar para uma segunda conversa. Acho que este momento está perto de acontecer. Não acredito que no curto prazo, mas no médio. Espero que todos consigam sentar e se entender, cada um falando o que está incomodando”, completou.

Inscreva-se no Canal do Datena no YouTube

O ministro afirmou ainda que as “notícias negativas” envolvendo o governo federal são incentivadas por parlamentares, governadores e prefeitos de oposição para que os “avanços” conquistados pelos ministérios, incluindo o liderado por ele, não ganhem espaço na imprensa e nas mídias.

“O governo tem muitas entregas. Eu, por exemplo, tenho a missão de conectar os brasileiros com o leilão do 5G. O ministro Tarcísio [Gomes de Freitas, da Infraestrutura] também tem suas entregas. O ruído dificulta para mostrar o que estamos fazendo. A própria oposição percebeu isso e gosta que fique esse clima. A vacinação está aumentando, estamos diminuindo o número de mortos, levando internet a todos. Não querem falar sobre isso, aí a intriga é gerada. O presidente já acorda todos os dias com 10, 20, 30 notícias negativas”, criticou.

Comentando mais uma vez a tensão envolvendo as diferentes esferas políticas, Fábio Faria também negou que as manifestações de bolsonaristas previstas para o próximo feriado de 7 de setembro representem qualquer tipo de ameaça à democracia brasileira, mesmo possivelmente contando com o apoio de militares e policiais.

“Todas as manifestações da direita até hoje foram de pessoas que vão para as ruas de verde e amarelo e não queimam pneu, estátua, não tacam fogo em nada. O clima será de pacificação.”