Jornalismo verdade é aqui

Guilherme Boulos: “Bolsonaro está no colo do centrão”

Jair Bolsonaro e Ciro Nogueira

Governo confirmou nesta terça-feira a indicação do senador Ciro Nogueira, representante do centrão, à chefia da Casa Civil

Pré-candidato ao governo de São Paulo nas eleições de 2022, Guilherme Boulos (PSOL) disse nesta terça-feira (27) à Rádio Bandeirantes que o governo do presidente Jair Bolsonaro está “no colo do centrão”. A afirmação foi feita ao comentar a indicação do senador Ciro Nogueira (PP-PI), representante do bloco, à Casa Civil.

Leia mais
Ramos chama pasta de “ministério para o emprego do Onyx”

Bolsonaro transformou política em lugar de agressão, diz Randolfe
Presidente do PSDB: Bolsonaro foi “capturado pela coalizão”

“O presidente que se elegeu dizendo que acabaria com a mamata, a corrupção e o ‘toma lá da cá’ é aquele que dá mais dinheiro ao centrão na história republicana do país. Ele está no colo do centrão. O centrão manda no governo. A indicação do Ciro Nogueira é a expressão máxima disso”, afirmou Boulos.

A confirmação dos rumores a respeito da indicação do senador, um dos maiores representantes do bloco parlamentar conhecido como centrão, ao cargo foi feita nesta manhã nas redes sociais.

“Acabo de aceitar o honroso convite para assumir a chefia da Casa Civil, feito pelo presidente Jair Bolsonaro. Peço a proteção de Deus para cumprir esse desafio da melhor forma que eu puder, com empenho e dedicação em busca do equilíbrio e dos avanços de que nosso país necessita”, escreveu Nogueira nas redes sociais.

Inscreva-se no Canal do Datena no YouTube

Para Boulos, a aposta, além de ser contraditória, é arriscada.

“No sistema político viciado do Brasil, o centrão acaba garantindo a governabilidade de todos os presidentes. Foi assim no governo Lula, Dilma, Temer, Bolsonaro. Não por ideologia, mas por cargos, espaços, emendas. É assim à luz do dia – e por isso precisamos de uma reforma política”, disse.

“Mas Bolsonaro se elegeu em uma onda de antipolítica sendo que nunca foi de fora. Ele veio do esgoto da política, do que há de pior. Agora está totalmente refém. Mas o centrão nunca afundou com ninguém no barco. Ele vai até os primeiros furos e, quando afunda, ele pula fora. Bolsonaro está empenhando o governo nele e ainda pode se dar mal”, completou.

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA: