Jornalismo verdade é aqui

Manaus pode ter que recorrer a oxigênio da Venezuela, diz prefeito

David Almeida (Avante), prefeito de Manaus

Ao comentar o colapso do sistema de saúde do estado do Amazonas, prefeito disse que este é “o dia mais triste da história”

David Almeida (Avante), prefeito de Manaus, disse nesta quinta-feira (14) ao Brasil Urgente que este é o “dia mais triste da nossa história” ao comentar a falta de oxigênio nas unidades de saúde e o toque de recolher decretado pelo governo local para tentar conter o avanço da chamada “segunda onda” do coronavírus no Amazonas. Segundo ele, o estado pode ter que recorrer à Venezuela para conseguir novos estoques do insumo.

Leia mais
Dimas Covas sobre CoronaVac: “Não podemos burocratizar a morte”

“Gostaria de estar no ministério até hoje”, diz Nelson Teich

“Por incrível que pareça a Venezuela é o único lugar para o qual podemos sair [em busca de oxigênio]. O caminho é Manaus, Boa Vista e Venezuela. Essa é a realidade. A situação ainda pode se agravar. Até os hospitais particulares estão entrando em colapso”, disse.

A White Martins, principal empresa fornecedora de oxigênio do estado, confirmou que trabalha com a possibilidade de importar o produto do país vizinho.

Mais cedo, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), anunciou um decreto que proíbe a circulação de pessoas entre 19h e 6h e determina que apenas serviços essenciais funcionem na capital. Além disso, informou que mais de 200 pacientes do estado serão transferidos para receberem atendimento médico em outros 6 estados.

“Hoje é o dia mais triste da nossa história (…) Eu já tinha falado sobre a possibilidade de faltar este insumo. Hoje a nossa necessidade é de 76 mil metros cúbicos de oxigênio por dia, sendo que temos a capacidade de produção de 35 mil metros cúbicos. Eu alertava para isso. E nenhuma cidade sofreria tanto como Manaus. O que está acontecendo é em função do que pagamos pelo nosso isolamento. Aqui é tudo mais difícil”, completou.

O prefeito ainda criticou autoridades e ambientalistas que protestam contra o desmatamento na região e “não estão atentos” às pessoas que moram ali.

“As mesmas pessoas que clamam pela preservação, protestam e fazem vídeo pelas árvores não estão atentas com as pessoas de Manaus. Somos os maiores preservadores mundiais e não temos apoio. Por quê Manaus sofre tanto? Por que 99% das UTIs do estado estão em Manaus. Toda a demanda do estado vem para cá, isso sufoca nosso sistema de saúde público. As ajudas internacionais não apareceram. Temos apoio do Ministério da Saúde e do Ministério da Defesa. Falei há pouco com o ministro Pazuello e eles estão trazendo um avião cargueiro dos Estados Unidos e barcas para transportar o gás.”

“Aproveito a oportunidade para fazer um apelo à nossa população. Se você ama sua família, fique em casa. Só vamos diminuir [o caos] se mantivermos o distanciamento social e as normas de higiene.”

3 comentários

  • Datena para de defender o genocida, que deixou o país nessa lama, tá chato assistir te programa batendo na mesma tecla ELEIÇÕES. Assista o canal do professor VILLA e ouça gente inteligente. Para de defender pisicopata ta chato