Jornalismo verdade é aqui

Aziz diz que PF “tem pouco a investigar”: “Bolsonaro já admitiu prevaricação”

Senador Omar Aziz, presidente da CPI da Covid

Senador que preside a CPI da Covid ainda deixou recado ao presidente: “Pare de andar de moto e vá trabalhar”

Ao comentar o inquérito aberto pela Polícia Federal para apurar a suspeita de prevaricação de Jair Bolsonaro na negociação do governo federal para a compra da vacina Covaxin, o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid, disse nesta segunda-feira (12) à Rádio Bandeirantes que a PF “tem muito pouco a investigar”, pois o próprio presidente já teria admitido o crime.  

Leia também
Infectologista diz que flexibilização anunciada por Doria é precoce

SP analisa 968 casos de “vacinas vencidas” e confirma erro

“[O inquérito] não foi iniciativa da Procuradoria-Geral da República (PGR) nem da Polícia Federal. Foi da ministra [do STF] Rosa Weber, que determinou que fosse investigada a prevaricação. A PF tem muito pouco a investigar. É só ouvir a entrevista que o presidente deu à Rádio Gaúcha. Ali ele admite que prevaricou. Ele diz: ‘Recebo mais de 100 denúncias por mês, nem tudo tenho tempo para encaminhar’. Em vez de passear de moto, ele poderia encaminhar”, criticou o senador.

“É estranho para quem pregou durante a campanha que combateria a corrupção. Como o governo não tem nenhum tipo de ação na área de segurança pública, a economia está cambaleando, o desemprego segue subindo, ele deveria pelo menos ter tempo para encaminhar uma denúncia tão séria como aquela feita pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF). Ele poderia ter pegado o telefone e encaminhado à PF, ao Ministério da Justiça, a quem quer que seja. Um telefonema não demoraria 30 segundos, se ele tivesse boa vontade. Deixo a sugestão de um simples mortal: pare de andar de moto e vá trabalhar”, completou.

Inscreva-se no Canal do Datena no YouTube

A entrevista citada pelo senador aconteceu no sábado (10) durante visita do presidente a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, onde participou de uma motociata com apoiadores. Na ocasião, ele foi questionado sobre o encontro com Miranda em que as denúncias teriam aparecido.

“Ele pediu uma audiência para conversar sobre vários assuntos. Eu não respondo sobre reunião. Tenho reunião com cem pessoas por mês, dos assuntos mais variados possíveis. Eu não posso simplesmente, ao chegar qualquer coisa para mim, tomar providência imediatamente”, respondeu.

Bolsonaro reafirmou ainda que o governo “não gastou um centavo” com a Covaxin e disse que a “história fantasiosa” só interessa a Aziz e aos também senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI, e Renan Calheiros (MDB-AL), relator da comissão.

CONFIRA A ÍNTEGRA: