Jornalismo verdade é aqui

Prefeito de Chapecó fala em “contágio avassalador”: “Já temos crianças e recém-nascidos internados”

Prefeito de Chapecó

Prefeito anunciou “colapso total” devido ao aumento no número de casos de covid-19 e à superlotação de hospitais

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), disse nesta terça-feira que a cidade tem sofrido com o “contágio avassalador” da segunda onda da covid-19. Segundo ele, a doença tem atingido de maneira grave até mesmo jovens, crianças e bebês recém-nascidos, considerados mais resistentes à contaminação no início da pandemia.

No último domingo, Rodrigues fez uma transmissão ao vivo nas redes sociais para anunciar que o município catarinense está em “estágio de colapso” com o aumento no número de casos e a superlotação dos hospitais.

Leia também
“Não ter poder de análise é a mesma coisa que fechar”, diz Anvisa

Temer: afastamento de presidente e vice não é bom para as instituições

“O momento é de colapso total. Somos um dos principais polos do agronegócio do Brasil, temos hoje cerca de 13 mil imigrantes que vieram para cá, devemos ter uns 2 mil clandestinamente. Estamos acreditando que temos aqui a nova cepa. O contágio é muito veloz, as pessoas em UTI não são mais os idosos ou adultos com comorbidades. Temos recém-nascidos, crianças, jovens [internados]. Não tem critério nenhum mais. O contágio é avassalador”, disse à Rádio Bandeirantes.

“A prefeitura fez uma grande compra de testes rápidos. Nas unidades de saúde, os testes aplicados em quem tem sintomas mostraram 70% de contágio. Um negócio absurdo. Muita gente está fazendo Carnaval achando que está tudo muito bem. Aqui era o último lugar do Brasil a colapsar e está colapsando”, completou.

Inscreva-se no Canal do Datena no YouTube

O prefeito de Chapecó informou ainda que uma força-tarefa montada com o governo do estado e o governo federal atua na criação de novos leitos de UTI e de enfermaria na região. A expectativa é abrir 28 leitos de UTI já nesta semana. Mesmo assim, ele recusa a hipótese de decretar lockdown neste momento no município.

“A coisa está no limite. Não tem como entender esse vírus, não tem como. Não sabemos mais nem como isolar. Tomamos todas as medidas possíveis, menos o lockdown. Não sou dessa tese. As pessoas não ficam em casa, vão para sítios, se distraem (…). Fechamos bares, tabacarias, suspendemos cultos e missas, atividades esportivas em grupo, festas, mas mantivemos abertos comércio, indústria e restaurantes com horários específicos. É o mínimo para a economia não colapsar também.”

A população estimada da cidade é de 224.013 habitantes. Segundo o boletim do governo do estado divulgado nesta segunda, há atualmente 18.452 casos confirmados da doença e 159 óbitos.

Adicionar comentário