Jornalismo verdade é aqui

Prefeito de Santos diz que lockdown “não é opção, mas necessidade”

Prefeito de Santos explica lockdown na Baixada Santista

Região Metropolitana da Baixada Santista entra hoje em fechamento total para tentar frear o avanço da covid-19

Rogério Santos, prefeito de Santos, disse nesta terça-feira (23) à Rádio Bandeirantes que neste momento o lockdown não é uma “opção, mas uma necessidade”. As nove cidades da Região Metropolitana da Baixada Santista entram hoje em fechamento total para tentar frear o avanço da covid-19. Além de Santos, fazem parte do grupo São Vicente, Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Bertioga, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe.

Leia também
Skaf: “A única coisa que Doria fez foi aumentar impostos”

São Sebastião recebe medicamentos para intubação para mais 10 dias

“Nossa situação hoje é muito grave. A variante P1 é mais rápida do que se esperava. Vivemos outra pandemia, muito diferente. No fim do ano tínhamos o estado em fase amarela e apenas uma região na vermelha. Hoje tudo está na vermelha. Algumas pessoas questionam, mas com 90% de ocupação de leitos de UTI não tem como estar na amarela. Algumas cidades já estão completamente sem leitos. Jamais imaginei que a rede particular fosse pedir leito ao sistema público. É o que está acontecendo. Hospitais superlotados, falência do sistema, falta de medicamentos. Tem que ter lockdown. Não é opção. É necessidade. Não vamos esperar o colapso”, disse o prefeito.

Rogério Santos contou que 14% da população do município receberam a primeira dose da vacina contra covid-19, e 6% receberam a segunda. Mesmo “avançado”, segundo ele, o ritmo é “insuficiente”.

“Quem puder tem que ficar em casa. A fiscalização aqui é difícil, as pessoas não têm consciência. Precisava ter um caixão no meio da rua ou atendimento médico no meio da rua para que acreditassem”, lamentou.

Regras do lockdown em Santos

Pelo decreto do lockdown em Santos, fica suspenso, inicialmente entre os dias 23 de março e 4 de abril, o funcionamento do comércio, de ambulantes e de prestadores de serviço. O transporte coletivo estará disponível apenas em dias úteis, das 5h30 às 8h30, e das 15h30 às 19h30, exclusivamente para trabalhadores de serviços essenciais. Fica proibido ainda o consumo de alimentos e bebidas, das 20h às 6h do dia seguinte, em locais públicos, como praças, ruas, avenidas, praças, parques, jardins e orla.

Inscreva-se no Canal do Datena no YouTube

A circulação de pessoas e veículos fica autorizada para as seguintes finalidades: compra de remédios, aquisição de produtos e serviços essenciais, atendimento ou socorro médico de pessoas ou animais, embarque ou desembarque de terminal rodoviário, atendimento de situações de emergência e atividades físicas individuais, das 5h às 8h e das 17h às 19h30.

Para comprovar a circulação, podem ser usados documentos como prescrição médica ou nota fiscal de medicamento, atestado de comparecimento à unidade de Saúde, nota fiscal ou recibo de compra de estabelecimento de serviço essencial, carteira de trabalho ou holerite, passagem de ônibus ou comprovação de situação de emergência.

Todas as regras podem ser encontradas no site da prefeitura de Santos.

CONFIRA A ENTREVISTA: