Jornalismo verdade é aqui

Pedro Bial: Bolsonaro e Trump “pagaram preço pelo negacionismo” nas eleições

Pedro Bial e Datena

Apresentador comparou as eleições dos EUA com as eleições municipais brasileiras e atribuiu as derrotas ao “negacionismo” com a pandemia

O apresentador Pedro Bial disse nesta segunda-feira (23) à Rádio Bandeirantes que acredita que, nas eleições municipais deste ano, o presidente Jair Bolsonaro “pagou o preço” pela postura “negacionista” que teve em relação à pandemia do coronavírus. Grande parte dos candidatos apoiados pelo Planalto, como Celso Russomanno em São Paulo, por exemplo, não conseguiu alcançar um número expressivo de votos.

Leia mais
É impossível não comparar a morte de Beto com a de George Floyd

“O Bolsonaro, assim como o Donald Trump nos Estados Unidos, está pagando o preço de ter menosprezado o valor da vida. Você pode ter críticas ao isolamento, como ele foi feito, a atenção à economia, mas precisávamos ter tido uma liderança que não houve. A liderança do Bolsonaro não veio na hora em que qualquer um estava disposto a aceitá-la. Dizer que ‘vamos perder algumas vidas aí’ não dá. Cada vida que se perde é uma perda do tamanho do universo”, disse.

“O Trump pagou com a eleição de agora. Muito da derrota dele se atribui à política de negacionismo. Talvez essas eleições municipais sejam um sinal desse preço que o Bolsonaro vai pagar. Não tenho tanta certeza, eleição municipal é um pouco diferente da eleição majoritária nível nacional. Mas é bem possível que ele já esteja colhendo frutos de um negacionismo e uma falta de compaixão e solidariedade que tem que mover o homem público”, completou Bial.

Inscreva-se no Canal do Datena no YouTube

O apresentador afirmou ainda que outra consequência da pandemia foi a “exacerbação de problemas antigos do país”, como a desigualdade social e o racismo, e defendeu que, a partir de agora, a sociedade brasileira busque caminhos em comum em vez de focar nas polarizações.

“Tudo que de alguma maneira estava encoberto se escancarou. A pandemia, a quarentena, o isolamento social, as consequências na economia, tudo exacerbou problemas antigos que existem no Brasil desde que temos um projeto de nação (…). Perdemos muito tempo buscando onde discordamos em vez de procurarmos um território comum. Posso ter valores e formas de vida completamente diferentes do meu vizinho, mas temos coisas em comum. A diminuição da desigualdade interessa a todos. O combate ao racismo interessa aos brancos. O combate à pobreza interessa aos ricos. Nós, comunicadores, temos responsabilidade de tornar isso comum, ao conhecimento de todos, para que a gente comece a trabalhar juntos. Apostar no conflito acaba mal”, concluiu Bial.

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA:

5 comentários

  • Comparar essas.mortes é apelar para poder desmanchar Bolsonaro. Nada tem a ver uma com a outra, é só prestar atenção aos fatos o que querem mesmo é fazer uma arruassa generalizada para tentarem o poder e a roubalheira novamente. Quanto ao fato do covid, Bolsonaro sempre teve razão, o Brasil só não esta pior graças ao presidente que se preocupou com a economia, mesmo impedido pelo stf o povo continuou e cont8nua cada vez mais ao lada dele. A globo esta desesperada pq esta chegando o dia de acertar as contas com o país, pagar suas dividas e podemos ver que esta dificil. Bual, sempre admirei sua sensatez, sua inteligencia mas pelo dinheiro vc e seus amigos estão usando os meios de comunicações para enganar o povo e continuarem com suas vidas nababescas. Máscaras caindo e graças a Deus, o povo acordando. ” Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” !!!!

  • Datena boa tarde a outra emissora esta disse do quem esta procurando para fazer o te te do Covid não esta conseguindo moro em Itaquera fui hoje no hospital Planalto como é conhecido aqui fiz exame tirei raio x e já estou tomando a medicação enquanto o resultado não sai mandei lhe por estar em falando inverdades .
    Já tive Covid e em agosto me recuperei muito bem.
    Mas como me senti mal voltei e fui muito bematentida não tenho o que reclamar isso que a emissora esta fazendo e novamente jogo politico

  • Concordo em gênero e número, quanto as perdas políticas dos dois. Fiz campanha e votei em Bolsonaro, não voto mais justamente por suas atitudes contrárias ao interesse da população. A Administração Pública deve estar sempre voltada ao bem comum e não centralizada entre partidos ou pensamento políticos.

  • O bolsonarismo é uma seita macabra diabólica,ser contra Bolsonaro não significa ser petista ou de esquerda, isso se chama sanidade mental! como um ser humano normal ,pode encontrar alguma qualidade nesse ser humano desprezível! Bolsonaro é a escória da política Brasileiro!170 mil mortos isso é o resultado desse desgoverno!